quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Dez


Hoje o dia por pouco
Não amanheceu,
Os olhos quase quiseram
Fechar-se num cansaço imenso.

As lágrimas desesperadamente
Tentavam irrigar um coração
Que outrora pulsou em alegria.

A alma num grito seco
Foi se calando,
Em flash’s obscuros.

A voz cessou,
O vento soprou,
O corpo foi ao chão.

Havia ali um ponto final
Ansioso por grafar-se
Em uma cova de lamúrias.

Tentei ser meu deus
Na ausência de um,
Tentei por fim apagar a luz.

As mãos que um dia
Carregaram-me no colo
Lutavam sem cessar
Para que eu pudesse enfim

Renascer e novamente tentar.

Bill Olyver, 10/10/2010, 10:10 (data e horário alterados)

(11/10/2010, 19:53)

4 comentários:

  1. Caraca, seus textos são muito bons, Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. seguindo sua pagina.... follow back?

    http://movimentodotogather.blogspot.com/

    tank you!

    ResponderExcluir
  3. A única certeza que temos é que tudo passa... A cada dia temos shows da natureza pra nos revigoramos...temos que pensar nos momentos bons da vida. Ou você os vai sacrificar pelos ruins ?

    ResponderExcluir